PAM: 85- 102 normal. A medida da PAM está indicada nas seguintes situações: - Quando a instabilidade cardiovascular pode ser antecipada: - Pacientes com importantes aumentos de Ventrículo Esquerdo; - Doenças valvulares avançadas; - Quando a utilização de cristalóides ou colóides vai ser grande; - Infarto Agudo do Miocárdio ou história de angina de qualquer tipo; - História de doença pulmonar grave; - Parada Cardíaca e Reanimação Cardiopulmonar; - Cirurgias Intracranianas. - Quando houver manipulação direta do sistema cardiovascular: - Cirurgia Cardíaca; - Cirurgia Vascular de grande porte; - Cirurgia Torácica - especialmente quando há necessidade de ventilação pulmonar; - Inabilidade ou impossibilidade de medir corretamente: - Traumatismos extensos; - Obesidade; - Queimaduras extensas; - Choque (embora seja muito difícil a punção, existe a possibilidade de dissecção da artéria pelo cirurgião); Outras: - Hipotensão Induzida; - Hipotermia Induzida; - Necessidade de freqüentes medidas dos gases arteriais; - Sepsis; - Distúrbios eletrolíticos graves; - Coagulopatias; - Uso de heparina para anticoagulação. CONCEITO: Pressão Arterial Média é a pressão efetiva que leva o sangue aos tecidos durante o ciclo cardíaco Ela representa não somente a força que dirige a perfusão pelo organismo humano, mas também reflete uma parte do trabalho cardíaco. Consiste na ausculta dos sons de Korotkof - complexo de sons audíveis que ocorrem por turbulência, instabilidade da parede arterial e formação de onda de choque produzidos pela oclusão externa ou pressão sobre uma artéria maior. O primeiro som audível representa a pressão sistólica e o último e abafado somrepre-senta a pressão diastólica. A PAM,neste caso, pode ser calculada pela fórmula acima. Erros deste método ocorrem por resultado de deficiências nas transmissões dos sons, como um estetoscópio longo ou por sensibilidade alterada do observador na ausculta dos sons. Manômetros aneróides estão sujeitos a erros de calibração e devem ser aferidos periodicamente. Causas patológicas ou iatrogênicas de diminuição do fluxo sangüíneo arterial como o choque cardiogênico ou o uso de vasopressores, podem resultar em atraso na geração dos sons e significativo erro nas medidas da PA. Em contraste, a baixa complacência dos tecidos à ação do balão do esfigmomanômetro encontrada, por exemplo, em pacientes com tremores, requerem excessiva pressão de oclusão, o que pode produzir leituras mais elevadas da PA. Definição Pressão Arterial Média (PAM) Consiste na introdução de um cateter em uma artéria através de uma punção ou dissecção, que é conectado a um sistema de transmissão depressão, um transdutor de pressão que por sua vez é conectado ao monitor. Indicações - Pacientes com níveis pressóricos instáveis, em uso de drogas vasoativas, pós-operatórios de grandes cirurgias, no choque, em grandes queimados. O local de escolha para a PAM é geralmente artéria radial, podendo ser utilizada as femurais ou pediosas. Assistência de Enfermagem na PAM · Montar corretamente o sistema de PAM utilizando técnica asséptica, com conecções unidadas evitando a entrada de ar no sistema e zerando-o adequadamente. · Auxiliar na passagem do cateter · Fixar adequadamente o cateter a pele · Manter o monitor com os alarmes ligados · Manter o sistema pressurizado com infusão contínua de solução de heparina · Observar freqüentemente o membro puncionado para identificar complicações como: cianose, parestesia e dor · Sempre que for manipular o cateter ou sistema utilizar técnica asséptica · Renovar o curativo a cada 24 horas e observar o sítio de entrada do cateter para identificar alterações na pele e presença de secreções. · Trocar a solução de heparina a cada 24 horas e o transdutor a cada 48 horas · Zerar o sistema a cada 4 horas ou a cada mudança de posição do paciente · Realizar flash de solução heparinizada após coleta de sangue · Observar continuamente a curva de pressão · Ao retirar o cateter, fazer a compressão no local por 5 minutos, e realizar o curativo compressivo COMPLICAÇÕES Obstrução do cateter; Isquemia distal; Hemorragia; Equimose Maciça (infiltração de sangue extravasado no tecido subcutâneo); Embolia gasosa; Dor; Espasmos arterial; Infecção; MÉTODO NÃO INVASIVO: Aferindo a PA obtêm-se a pressão sistólica (PAS) e a pressão diastólica (PAD). Para verificarmos a PAM utilizamos a seguinte fórmula: PAM= PAS + (PAD x 2) / 3 MÉTODO INVASIVO (PAI) Um cateter (abocath) é introduzido dentro de uma artéria (radial, braquial, femoral ou pedioso); A circulação colateral deve ser confirmada antes da introdução do cateter. Se não houver circulação e a artéria canulada estiver obstruída, podem ocorrer isquemia e infarto da área distal ao local canulado. TESTE: A circulação colateral pode ser verificada seja através do teste de Allen para avaliar as artérias radial e ulnar, seja através do teste ultra-sônico com Doppler para qualquer uma das artérias. Assistência de Enfermagem na PAM TESTE DE ALLEN: As artérias radial e ulnar são · Montar corretamente o sistema de PAM utilizando técnica asséptica, com conecções comprimidas simultaneamente e pede-se ao paciente que feche o punho, unidadas que a mão empalideça. Depois de e paciente adequadamente. fazendo com evitando a entrada de ar no sistema o zerando-oabrir a mão, a pressão sobre a artéria ulnar é liberada, mantendo-se a pressão sobre a · Auxiliar A passagem do cateter artéria radial.na mão adquire uma tonalidade rósea se a artéria ulnar estiver permeável. · Fixar adequadamente o cateter a pele · Manter o monitor com os alarmes ligados · Manter o sistema pressurizado com infusão contínua de solução de heparina · Observar freqüentemente o membro puncionado para identificar complicações como: cianose, parestesia e dor · Sempre que for manipular o cateter ou sistema utilizar técnica asséptica · Renovar o curativo a cada 24 horas e observar o sítio de entrada do cateter para identificar alterações na pele e presença de secreções. · Trocar a solução de heparina a cada 24 horas e o transdutor a cada 48 horas · Zerar o sistema a cada 4 horas ou a cada mudança de posição do paciente
Please download to view
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
...

PAM

by natalia-martins

on

Report

Category:

Documents

Download: 0

Comment: 0

433

views

Comments

Description

Download PAM

Transcript

PAM: 85- 102 normal. A medida da PAM está indicada nas seguintes situações: - Quando a instabilidade cardiovascular pode ser antecipada: - Pacientes com importantes aumentos de Ventrículo Esquerdo; - Doenças valvulares avançadas; - Quando a utilização de cristalóides ou colóides vai ser grande; - Infarto Agudo do Miocárdio ou história de angina de qualquer tipo; - História de doença pulmonar grave; - Parada Cardíaca e Reanimação Cardiopulmonar; - Cirurgias Intracranianas. - Quando houver manipulação direta do sistema cardiovascular: - Cirurgia Cardíaca; - Cirurgia Vascular de grande porte; - Cirurgia Torácica - especialmente quando há necessidade de ventilação pulmonar; - Inabilidade ou impossibilidade de medir corretamente: - Traumatismos extensos; - Obesidade; - Queimaduras extensas; - Choque (embora seja muito difícil a punção, existe a possibilidade de dissecção da artéria pelo cirurgião); Outras: - Hipotensão Induzida; - Hipotermia Induzida; - Necessidade de freqüentes medidas dos gases arteriais; - Sepsis; - Distúrbios eletrolíticos graves; - Coagulopatias; - Uso de heparina para anticoagulação. CONCEITO: Pressão Arterial Média é a pressão efetiva que leva o sangue aos tecidos durante o ciclo cardíaco Ela representa não somente a força que dirige a perfusão pelo organismo humano, mas também reflete uma parte do trabalho cardíaco. Consiste na ausculta dos sons de Korotkof - complexo de sons audíveis que ocorrem por turbulência, instabilidade da parede arterial e formação de onda de choque produzidos pela oclusão externa ou pressão sobre uma artéria maior. O primeiro som audível representa a pressão sistólica e o último e abafado somrepre-senta a pressão diastólica. A PAM,neste caso, pode ser calculada pela fórmula acima. Erros deste método ocorrem por resultado de deficiências nas transmissões dos sons, como um estetoscópio longo ou por sensibilidade alterada do observador na ausculta dos sons. Manômetros aneróides estão sujeitos a erros de calibração e devem ser aferidos periodicamente. Causas patológicas ou iatrogênicas de diminuição do fluxo sangüíneo arterial como o choque cardiogênico ou o uso de vasopressores, podem resultar em atraso na geração dos sons e significativo erro nas medidas da PA. Em contraste, a baixa complacência dos tecidos à ação do balão do esfigmomanômetro encontrada, por exemplo, em pacientes com tremores, requerem excessiva pressão de oclusão, o que pode produzir leituras mais elevadas da PA. Definição Pressão Arterial Média (PAM) Consiste na introdução de um cateter em uma artéria através de uma punção ou dissecção, que é conectado a um sistema de transmissão depressão, um transdutor de pressão que por sua vez é conectado ao monitor. Indicações - Pacientes com níveis pressóricos instáveis, em uso de drogas vasoativas, pós-operatórios de grandes cirurgias, no choque, em grandes queimados. O local de escolha para a PAM é geralmente artéria radial, podendo ser utilizada as femurais ou pediosas. Assistência de Enfermagem na PAM · Montar corretamente o sistema de PAM utilizando técnica asséptica, com conecções unidadas evitando a entrada de ar no sistema e zerando-o adequadamente. · Auxiliar na passagem do cateter · Fixar adequadamente o cateter a pele · Manter o monitor com os alarmes ligados · Manter o sistema pressurizado com infusão contínua de solução de heparina · Observar freqüentemente o membro puncionado para identificar complicações como: cianose, parestesia e dor · Sempre que for manipular o cateter ou sistema utilizar técnica asséptica · Renovar o curativo a cada 24 horas e observar o sítio de entrada do cateter para identificar alterações na pele e presença de secreções. · Trocar a solução de heparina a cada 24 horas e o transdutor a cada 48 horas · Zerar o sistema a cada 4 horas ou a cada mudança de posição do paciente · Realizar flash de solução heparinizada após coleta de sangue · Observar continuamente a curva de pressão · Ao retirar o cateter, fazer a compressão no local por 5 minutos, e realizar o curativo compressivo COMPLICAÇÕES Obstrução do cateter; Isquemia distal; Hemorragia; Equimose Maciça (infiltração de sangue extravasado no tecido subcutâneo); Embolia gasosa; Dor; Espasmos arterial; Infecção; MÉTODO NÃO INVASIVO: Aferindo a PA obtêm-se a pressão sistólica (PAS) e a pressão diastólica (PAD). Para verificarmos a PAM utilizamos a seguinte fórmula: PAM= PAS + (PAD x 2) / 3 MÉTODO INVASIVO (PAI) Um cateter (abocath) é introduzido dentro de uma artéria (radial, braquial, femoral ou pedioso); A circulação colateral deve ser confirmada antes da introdução do cateter. Se não houver circulação e a artéria canulada estiver obstruída, podem ocorrer isquemia e infarto da área distal ao local canulado. TESTE: A circulação colateral pode ser verificada seja através do teste de Allen para avaliar as artérias radial e ulnar, seja através do teste ultra-sônico com Doppler para qualquer uma das artérias. Assistência de Enfermagem na PAM TESTE DE ALLEN: As artérias radial e ulnar são · Montar corretamente o sistema de PAM utilizando técnica asséptica, com conecções comprimidas simultaneamente e pede-se ao paciente que feche o punho, unidadas que a mão empalideça. Depois de e paciente adequadamente. fazendo com evitando a entrada de ar no sistema o zerando-oabrir a mão, a pressão sobre a artéria ulnar é liberada, mantendo-se a pressão sobre a · Auxiliar A passagem do cateter artéria radial.na mão adquire uma tonalidade rósea se a artéria ulnar estiver permeável. · Fixar adequadamente o cateter a pele · Manter o monitor com os alarmes ligados · Manter o sistema pressurizado com infusão contínua de solução de heparina · Observar freqüentemente o membro puncionado para identificar complicações como: cianose, parestesia e dor · Sempre que for manipular o cateter ou sistema utilizar técnica asséptica · Renovar o curativo a cada 24 horas e observar o sítio de entrada do cateter para identificar alterações na pele e presença de secreções. · Trocar a solução de heparina a cada 24 horas e o transdutor a cada 48 horas · Zerar o sistema a cada 4 horas ou a cada mudança de posição do paciente
Fly UP